Exército de Doutores Desempregados

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Compartilhe com uma pessoa agora e ajude-a com uma boa ideia!

Pós-Graduação, Mestrado e Doutorado vale à pena?

Antes de começar, digo que este artigo/vídeo foi baseado em outros dois artigos (de mesmo nome), uma matéria do G1 (tudo linkado abaixo) e meus insights pessoais. Você terá exercícios ao final. 

Não sei se você conhece aquela pessoa que estudou, estudou, estudou…e estudou sem nunca ter trabalhado.

A questão é que aqui no Brasil, às vezes, caímos na busca incessante por certificações e status sem nunca ir para o mercado de trabalho e produzir algo, porque “é o que todo mundo faz” ou “porque sim”.

Premissa: NÃO estou generalizando. Há áreas que, de fato, a carreira acadêmica produz! Peço, portanto, para VOCÊ fazer uma AUTOCRÍTICA e analisar sua área.

Preocupa-se demasiadamente com nota ou apenas se preocupa em atingir a nota mínima para passar na cadeira, e leva-se o curso “nas coxas”.

Está na casa de milhões de pessoas que vão para faculdade e que se comportam como se estivessem no primário. Alunos graduados em Direito, Arquitetura, Engenharia, Contábeis, entre tantos cursos, que NUNCA estagiaram durante seus 4-6 anos de faculdade e acabam terminando o curso sem nenhuma experiência prática. 

Em seguida, emenda-se uma pós-graduação/mestrado/doutorado para continuar o ciclo de estudos sem nunca gerar valor para a sociedade através de seu conhecimento, carecendo-lhes a prática, a aplicabilidade, o networking e uso efetivo do que passaram tantos anos aprendendo.

A realidade para quem não vai para o Mercado de Trabalho

É uma armadilha muito perigosa de se cair passar tantos anos estudando. 

Estuda-se, por vezes, por anos a fio sem nunca prestar UM SERVIÇO, sem nunca estagiar, sem nunca trabalhar, sem nunca aplicar efetivamente o que se está aprendendo no mercado de trabalho.

SUPLICO para que você não faça isso e vá ter EXPERIÊNCIAS o mais rapidamente possível.

Vá para a prática aplicar as coisas que você está vendo na universidade. Pode ser que você encontre algo fantástico ou descobrir que odeia o que pretende fazer pelo resto da vida.

Aprenda novas habilidades, aprenda idiomas, tente encontrar algum programa de intercâmbio com bolsa no exterior, voluntarie-se, estagie. Só não fique apenas preocupado com a prova do bimestre.

Suas notas poderão não valer nada na hora de uma entrevista de emprego se você não tiver uma experiência sequer. O entrevistador pode chamar de  “overqualified” (superqualificado) para evitar  “inexperienced” (sem experiência).

Takeaways desse artigo:

– Vá ter experiências, estágios – nem que seja de graça! Trabalhe no intuito de APRENDER habilidades e ofícios.

– Antes de fazer um pós, pergunte-se: vou usar isso na minha vida como? Vale à pena o investimento de tempo, financeiro e emocional?

– Pergunte-se com o que você gostaria de trabalhar. Imagine um dia perfeito na sua vida. Veja alguém a quem você pode modelar e faça a engenharia reversa do que essa pessoa fez.

Aprenda algo todo dia,
Do Amigo Aleno Oliveira

PS.: No vídeo (abaixo), mencionei que tenho um Master in Law and Business (MLB) pela Bucerius Law School – Hamburgo, Alemanha. Aqui no Brasil, caracteriza-se como uma pós-graduação lato sensu.

PS2: Para aprender a aprender, leia o Leitura Inteligente 2.0. Minha intenção é fazer uma lavagem cerebral em você para que você comece a aprender algo novo todo dia.

PS3: Compartilhaaaaaa esse vídeo no Whatsapp!

🔴Fontes:
Nestas matérias, você encontrará outros dados e opiniões sobre o assunto:
– https://www.bbc.com/portuguese/brasil-44696697

– https://medium.com/renatho/um-exército-de-doutores-desempregados-5fcd5aef0498 , por Renatho Siqueira, publicado no BrasilPost

– https://www.pragmatismopolitico.com.br/2018/05/exercito-de-doutores-desempregados-brasil.html , por Hugo Fernandes, publicado no Tribuna Científica.

Você também vai gostar de ler um destes Artigos: